Aumentar o faturamento é, certamente, uma batalha diária e sem fim para todas as empresas. Faz parte da sobrevivência do negócio a busca por novos recursos que potencializem as vendas. Uma dessas técnicas é a análise preditiva.

Trata-se de um mapeamento, a partir de uma base de dados, de informações que identifiquem uma tendência ou um comportamento de consumo. Com ele, é possível identificar interesses e determinar medidas que otimizem as vendas e reduzam desperdícios de tempo e dinheiro.

Preparamos este post para falar um pouco mais a respeito dessa análise e da sua aplicação prática. Continue a leitura e aprenda mais!

A utilização da análise preditiva

Para trabalhar com vendas preditivas, inicialmente, é preciso ter uma estrutura machine learning, que é, justamente, criar, no computador, um algoritmo responsável por capturar e analisar dados e identificar padrões. A máquina, ao realizar a investigação, constrói sozinha a previsão de algo e, a partir disso, “toma decisões” de ação.

Um exemplo simples de predição é quando fazemos uma breve pesquisa a respeito de um produto na Internet e, nas próximas horas e dias, passamos a receber anúncios relacionados ao mesmo item pesquisado.

Outro exemplo: esse trabalho é capaz de mapear buscas feitas em páginas de material de construção, móveis planejados e serviços de pedreiro, e interpretar esse conjunto de dados como intenção de realizar uma reforma. Com essa informação, a empresa pode direcionar conteúdo ou criar uma estratégia mais eficiente de prospecção e negociação.

As aplicações práticas

Depois de implementar uma estrutura eficiente de inteligência de dados, há possibilidade de desenvolver diversas medidas de melhoria que refletirão diretamente no faturamento da empresa:

  • detecção de fraudes;
  • estratégias de marketing mais decisivas; 
  • estudo de riscos; 
  • reconhecimento de novos nichos para investir;
  • gerenciamento de operações. 

Os benefícios desse tipo de análise

Partindo de ações bem planejadas e com base em dados atualizados, diversos setores da empresa acabam sendo impactados com a utilização eficiente dos diagnósticos gerados. Veja alguns dos possíveis efeitos a seguir.

Gestão de clientes mais eficiente

Uma pesquisa de comportamento permite determinar categorias de consumidor (por exemplo: avaliando se trata-se de um cliente realizando uma pequena reforma ou de um empreiteiro) e oferecer personalização no atendimento e na oferta de produtos ou serviços.

Gestão ideal de demanda e oferta

Um controle de estoque bem-feito reflete em finanças saudáveis, assim como o entendimento da sazonalidade do mercado e o conhecimento da busca do consumidor. Dessa forma, manter um alto estoque de tintas, por exemplo, no início do ano (quando as pessoas e empresas recebem uma grande carga de despesas e tributos para pagar) não é inteligente.

Da mesma maneira, deixar de oferecer itens e ofertas atrativos no segundo semestre do ano, quando todos se preparam para renovar ambientes e enfeitar fachadas, é um erro. As ferramentas de análise preditiva identificam, em detalhes, a conduta do consumidor e o desempenho dos produtos, por categoria, marca e preço.

Bom emprego de recursos

As avaliações apontarão para os resultados reais de ações ou processos. Com base nisso, cabe ao gestor direcionar investimentos para áreas em que sejam necessários e haja retorno, distribuindo a mão de obra de forma ideal e reduzindo desperdícios.

Eficácia das estratégias

Campanhas promocionais e conteúdo de marketing não surtem efeito quando direcionados ao público errado ou quando oferecem algo que não representa a necessidade do cliente. A predição restringe esse risco e reduz o ciclo de vendas.

Ficou mais fácil entender como funciona a análise preditiva e o que ela pode oferecer ao seu negócio? O próximo passo é consultar a viabilidade da implementação em sua empresa e entender quais serão os benefícios diretos e que alavancarão seus lucros.

Conheça também outras ferramentas de gestão lendo nosso artigo “Business inteligence e CRM: como eles ajudam a aumentar as vendas?“. Vamos lá!